terça-feira, 21 de maio de 2013

Free People, maio/2013

Já declarei toda a minha afinidade pelos looks da marca americana Free People. A grife tem o espírto livre dos anos 70 e a maior vibe hippista no mais puro estilo Woodstock de ser. Porque meninas, eu confesso. No fundo, no fundo sou Hippie. Apesar de adorar a vida urbana, um cinza grafite e uma loja de conveniência, bem lá no meu intimo sou hippie de carteirinha. Duvida? Pois é, mas é a pura verdade.

Isso tudo tem total ligação com a minha criação, vivenciei minha infância nos anos 70 e na adolescência curtia o som dos Mutantes e dos Doces Bárbaros: Caetano, Bethânia, Gil e Gal.  Quando quase adulta e já casada :) fui morar em um local que considerava mágico por ser na época um balneário sem muita infra-estrutura e meio longe da cidade. Então, isso fez parte da minha vida. E de alguma forma até hoje faz. É só analisar os meus seguintes pensamentos e atitudes: quero ver todos de bem com a vida e felizes, me emociono com o nascer e o pôr-do-sol, viajo no desenho das nuvens e me emocino ao escutar o som de  Bob Dylan. Já não sou muito fâ de acampar, prefiro o conforto das pousadinhas transadinhas, concordo que banho de cachoeira faz um bem danado na vida de qualquer um, gosto de tirar foto de paisagens, flores, passarinhos e dos meus pés, uso óleo de amêndoas Paixão, adoro achar que é breguinha e eu gosto por isso mesmo - amo tomar chás, aromatizar a casa com óleos essenciais, comer granola e ouvir o barulhinho da água caindo na fonte que fica na sala lá de casa.

Pois bem, sei que essa pequena lista não convence os mais ortodoxos, mas posso dizer que a casca é dura, perua, urbana, mas alma é odara. E viva a liberdade de ser!






 


Um comentário:

  1. Nossa pior que Free People, tem looks muitos lindos mesmo!
    beijinhos da Lu *-*
    http://lucarolinemoraes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir