sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Vitória Moda - Primeiro Dia

Pelo quinto ano consecutivo o Look Legal foi credenciado para fazer a cobertura do Vitória Moda, evento que reúne diversas marcas capixabas. A maratona fashion teve duração de três dias e esse ano aconteceu no Itamaraty Hall.




PRIMEIRO DESFILE do primeiro dia, reuniu um pool de três marcas: a Surreal, a Praia e a Clutch. O desfile da Surreal abriu os trabalhos do Vitória Moda.
Estreante na passarela do VM, a marca Surreal quis parecer rebelde e transgressora, mas o "mise en scene" que rolou na passarela beirou uma apresentação do ensino médio (lembrei da abertura da Copa do Mundo). Uma menina ficava parada na entrada da passarela e a medida que as modelos iam entrando, entregavam uma peça de roupa que ela ia vestindo ali mesmo. Ao final do desfile, com o "figurino" completo, todas as modelos se juntaram a ela e com estandartes em punho saíram "protestando" passarela afora num gran finale-animadão. 


Tudo aconteceu ao som de Caetano e o tema "Tropicalhe" ganhou intervenção funkeira! É claro que, referências ao movimento hippie estavam presentes, caracterizado nos cabelos "a la Gal Costa". 


Para resumir, os looks desfilados pela Surreal giraram em torno de estampas floral, quimonos, franjas, rendas, transparências e um tiquinho de preto pra não dizer que não falei do black. É claro que as irmãs Colodetti não iam deixar por menos e conseguiram laçar meu coração com essa sainha de modelagem balonê, uma das peças mais legais e diferentinhas do desfile. 


Ponto forte que encantou geral foi a beleza Surreal. Metade de uma flor colada na lateral do olho foi a grande sacada, sem falar na sombra colorida que evidenciou a proposta flower power. Amei!


Já a Praia (o nome é simples assim) foi feliz por não pecar pelo excesso, fez um desfile comercial, sem grandes surpresas e ponto! 
Curti muito a estampa da coleção e o laranja pra mim é um caso antigo. Portanto já estou desejando o kaftan com mini pompons preto que fazem o acabamento da peça. 
O truquezinho de usar hipoglós nos lábios pra elevar a vibe surfística tá bem batida, mas sempre funciona bem.


Trazendo pra passarela a experiência no seu DNA e como sucessora da marca Lei Básica, a Clutch tem tudo pra dar certo. Com concepção criativa de Mari e Juliana Vieira, as guerreiras da Clutch desfilaram a AfrikaLand com estampas de plantas, animal e tribal.
O colete com franjas foi uma opção ou uma variação do quimono, que também marcou presença no desfile da Clutch.



Confeccionado com exclusividade para o desfile da Clutch, a headband da Miss Girassol  fez o maior sucesso e segundo consta tem fila de gente querendo o enfeite de cabeça. #eutambémquero
A beleza optou pelo delineador branco no côncavo do olho e traços indígenas nas laterais da maça do rosto.


A parceria nos acessórios não poderia ser mais acertada, a botinha da Manolita completou o tom tribal do desfile.


SEGUNDO DESFILE - Eu gosto mesmo é de me ater aos detalhes, buscar o que cada coleção apresenta de diferente e que por muitas vezes passa despercebido pelos olhos menos atentos. O desfile da Amabilis, por exemplo, trouxe alguns exemplos de como uma moda clássica e tradicional pode surpreender nas minúncias. 
Para a peça mais bombardeada nos desfiles do Vitória Moda, o quimono, a Amabilis mostrou modelagem diferente que transformava a peça numa espécie de capinha.

A marca trouxe algumas peças como calça, vestido e saia em tecido com recortes a laser que proporcionaram um efeito 3 D na passarela.   

O tradicional blazer foi sensualizado com decote V profundo, generoso e recorte na costas como você vê na foto abaixo. O metalizado da calça ainda confere uma pitada a mais de ousadia à produção.


































TERCEIRO DESFILE - A Cobra D'agua foi a grande surpresa dessa edição do VM. Acostumada a trazer para a passarela um formato super comercial, dessa vez a marca investiu em um desfile conceito, mostrando que aprendeu a lição.
Velas gigantes foram dispostas ao longo da passarela e o ambiente praiano foi reforçado pela trilha da banda Macucus que tocou ao vivo: "sou da água e do sol, sou filho do rei sol".



























O desfile da Cobra'agua fez bem aos olhos. Foi um espetáculo de cores em estampas que tiveram forte tendência em formas geométricas, florais e elementos náuticos (leia-se estampa digital do mar e mini âncoras).

Entre as matérias primas apareceu o neoprene, a sarja, o flamê além das peças impermeáveis. Pode querer o conjuntinho aí de cima, Cobra D'agua ???

  
Truquezinho de stylist daqueles que a gente fica de olho no lance. A peça de beachwear usada por baixo da bermuda jeans deu um efeito super interessante na produção. Com a beiradinha saindo pra fora, de costas parecia que a cuequinha estava à mostra.

Um pouco do backstage mostrando os modelos antes de entrarem na passarela, a beleza com a nossa top internacional Gizele Oliveira e os acessórios hiper coloridos no "Verão sem fim", da Cobra D'agua.


Nenhum comentário:

Postar um comentário