sexta-feira, 22 de julho de 2016

Saia de Chita no Sertão do Vitória Moda!

Eu não poderia encerrar minha cobertura do Vitória Moda sem falar do desfile da marca Saia de Chita. Gente, o que foi aquilo??? Muita maravilhosidade junta!! E eu estou amando a possibilidade de usar uma daquelas peças bordadas, enfeitadas com rendas e passa-fitas, bem ao estilo menina/mulher brejeira. Mais minha cara impossível!

Eu peço licença
Pra mostrar minha coleção
Lá do povo do sertão
O poema de cordel
Uma bela tradição


É o segundo ano que a Saia de Chita marca presença no Vitória Moda e meu encantamento pelo trabalho dessa grife só aumenta. Ano passado, fiz questão de registrar o trabalho primoroso nesse post AQUI.
Para a nona edição do VM o Sertão do Nordeste foi representado em trabalhos manuais sobre tecidos exclusivos de modelagens românticas, fluídas e soltas. Tudo apresentado de forma bem lúdica, que nos fez viajar para as áridas terras sertanejas. 

Com trabalho manual
E tecido exclusivo
Minha arte foi composta
pra aguçar seu sentido
Incluindo o meu toque
O famoso colorido


Detalhes das peças com avimento passa-fita e bordados feitos à mão


Da rendeira do Nordeste
Eu não posso me esquecer
Sua arte me encantou
me fazendo enobrecer
meu desfile e minha roupa
Pra te surpreender


Acessórios de couro cru recortado com intervenções coloridinhas - lembrando as peças do artesão cearense  Espedito Seleiro - criavam contrapondo com a delicadeza dos looks.

Homenagem ao cangaço
Não haveria de faltar
Se o look não tem couro
Incompleto vai ficar
Além disso meu amigo
Lampião vai se zangar


Jardineira pantacourt e macacão trouxeram um quê de diversão ao desfile e o decote ombro a ombro que encheu meus olhos de doçura infinita.


A cultura nordestina também estava presente na estamparia que teve inspiração nas xilogravuras da literatura de cordel. Como não amar???  


Os versinhos contidos nesse post foram extraídos do "release" direcionado para imprensa que criativamente foi apresentado em forma de folhetinhos de literatura de cordel, gênero literário popular escrito normalmente na forma rimada.


"Hoje eu sonhei que ela voltava e vinha muito mais que linda, à meia luz me acordava cheirando a flor de tangerina" (Alceu Valença).


O desfile foi pensado nos mínimos detalhes, tanto que as modelos apresentavam propositalmente o colo suado, como tipicas retirantes nordestinas que caminham sob o sol escaldante do sertão.


Ao som de Alceu Valença, com a música Flor de Tangerina (Trilha Original de Velho Chico), Fagner e Sá e Guarabira (eu acho) veja o desfile na íntegra da Saia de Chita, bem aqui:

Crédito do vídeo: Heloísa Tolipan

2 comentários: